Soluções LED iluminam Capela Sistina

Os frescos do génio renascentista Miguel Ângelo, revelados pela primeira vez há exatamente 502 anos, vão passar a ser apreciados de outra forma pelos visitantes da Capela Sistina, no Vaticano. O novo sistema de iluminação da tecnologia LED reproduz a luz natural e permite que as obras-primas sejam admiradas de uma maneira mais pormenorizada, com um elevado nível de precisão e com a restituição de cores original.

Recorde-se que as janelas superiores da Capela foram fechadas no final da década de 80, para evitar que os raios ultravioleta (UV) contribuíssem para o envelhecimento das pinturas, consideradas como algumas das melhores da história da arte. Com a nova solução, composta por mais de 7000 dispositivos LED, a instalação terá uma iluminação sem raios UV, homogénea e adaptada à palete de cores das pinturas, melhorando a experiência visual dos visitantes do espaço – sem lhes causar qualquer tipo de encadeamento.

Segundo a empresa responsável pela coordenação deste projeto, a iluminação LED da renovada Capela Sistina permitirá uma iluminância entre 5 a 10 vezes superior à anteriormente existente, com uma significativa melhoria da eficiência energética (redução de cerca de 60% do consumo).