O fim do halogéneo e o LED como presente

A data já estava há muito definida pela União Europeia, mas só ontem é que as lâmpadas de halogéneo começaram a ser descontinuadas do mercado europeu. 1 de Setembro marca o início do fim para as lâmpadas de halogéneo direcionais em todos os Estados-membros, incluindo Portugal, e a medida agrada às associações ambientalistas, bem como às empresas que apresentam soluções alternativas. É o fim do halogéneo e o LED como presente e como futuro da iluminação.

Como a decisão foi tomada pela Comissão Europeia em 2009, a indústria da iluminação teve sete anos para preparar gradualmente a saída de mercado das lâmpadas de halogéneo. De agora em diante, os retalhistas deverão informar devidamente todos os seus clientes que apenas podem vender lâmpadas que tiverem em stock e que em breve estas sairão mesmo das prateleiras. Consequentemente, abre-se ainda um maior espaço no mercado para se percorrer o caminho da eficiência energética e da sustentabilidade, com a iluminação LED, pelo seu menor consumo e maior durabilidade, a desempenhar um papel cada vez mais relevante na redução da fatura energética das famílias portuguesas. A iluminação está a mudar e a Europa espera que nos próximos anos todos estejam cada vez mais familiarizados com o LED.

Apresenta-se, no quadro abaixo, o cálculo da poupança estimada obtida por um cliente residencial que opte por substituir a sua instalação de lâmpadas de halogéneo por iluminação LED do tipo spotlight comercializada pela primelux.

quadro-halogeneovsLED